Blog | PHP Livre

Envie sua sugestão e ganhe desconto!

Não é cliente?
Novidade chegando, agora estamos com uma nova ferramenta para enviar sugestões, envie sua sugestão e ganhe um cupom de descontos (CLIENTEAMIGO) e ganhe 30% de descontos em sua primeira compra.

Já é cliente?
Entre em nosso grupo privado para suporte e dicas, lembrando que o acesso é privado.
https://plus.google.com/communities/115225487941188130069?sqinv=eWJndFMzSTBVOUJCX3VmMkZ6ZjFiU1B0cm1kUFR3

Qualquer dúvida basta entrar em contato!

Por que usar o php 7?

De começo, já digamos que o php 7 é bem mais rápido que as outras versões, agora vamos listar algumas das melhores atualizações do php7.

  1. Declarações de tipos escalares e o tipo de retorno, agora você pode especificar o qual tipo de entrada e qual o tipo de saída.function mostrar(float …$numeros) : float {
        return $numeros;
    }
  2. Operador de coalescência nula.Antes do php7:
    $username = ? $_GET[‘user’] : ‘nobody’;

    Agora com o php 7:
    $username = $_GET[‘user’] ?? ‘nobody’;

  3. Operador “nave espacial” (spaceship), determina se um número é maior, menor ou igual ao outro.echo 1 <=> 1; // 0 (0 = igual)
    echo 1 <=> 2; // -1 (-1 = o primeiro número é menor que o segundo)
    echo 2 <=> 1; // 1 (2 = o primeiro número é maior que o segundo)
  4. Arrays constantes utilizando a função define().
    define(‘ANIMALS’, [
    ‘dog’,
    ‘cat’,
    ‘bird’
    ]);echo ANIMALS[1]; // imprime “cat”
  5. Classes anônimas, o suporte a classes anônimas foi adicionado utilizando new class. Isso pode ser utilizado no lugar de definições completas de classes para objetos descartáveis.$app = new Application;
    $app->setLogger(new class implements Logger {
        public function log(string $msg) {
            echo $msg;
        }
    });
  6. Sintaxe de escape de códigos Unicode.echo “\u{aa}”; // retorna ª
    echo “\u{9999}”; // retorna 香

     

  7. Expectations, para tratamento de erros.ini_set(‘assert.exception’, 1);
    class CustomError extends AssertionError {}
    assert(false, new CustomError(‘Some error message‘));

    Retorna: Fatal error: Uncaught CustomError: Some error message

  8. E também teve muitos recursos antigos removidos, você precisa dar uma olhada nesta outra lista para que não haja interferência em seus projetos quando você migrar para o php7.

Lista completa em:
https://secure.php.net/manual/pt_BR/migration70.new-features.php

As melhorias são tantas, os exemplos foram retirados do site php.net, migre agora mesmo seu servidor para o php 7!

Função para gravar logs em php

Essa função grava em seu banco de dados, o que os seus usuários andam fazendo em seu site.

Uso da função:
<?php
logs(“Acessou o site phplivre.com”);
?>

Exemplo de retorno:
O que fez? Quem fez? IP de quem fez? Página de onde fez? Data e hora de quando fez?

Veja o código-fonte:
https://github.com/phplivre/logs

Estamos no GitHub

GitHub é uma plataforma de hospedagem de código-fonte com controle de versão usando o Git. Ele permite que programadores, utilitários ou qualquer usuário cadastrado na plataforma contribuam em projetos Open Source de qualquer lugar do mundo.

Acesse nossa conta! =)
https://github.com/phplivre/

5 dicas para melhorar o delivery do seu restaurante

No Brasil, o mercado de delivery cresce exponencialmente a cada ano. Apenas em 2015, apesar da crise econômica, o setor teve faturamento de R$ 9 bilhões, o que representa R$ 1 bilhão a mais que o ano anterior, segundo a ABRASEL – Associação Brasileira de Bares e Restaurantes.

Não é novidade pra ninguém que o sistema de delivery existe desde meados da década de 80, com as pizzarias. Hoje, muita coisa mudou e o delivery se “popularizou”. Então, como ter sucesso e prosperar com as entregas rápidas?

Invista no ambiente online: Com o desenvolvimento de aplicativos, sites de delivery, buscadores e o aumento de acessos via mobile, a tendência para esse segmento é de crescimento constante, independente da crise. Esse cenário torna o investimento em divulgação fundamental para garantir o sucesso. Então, lembre-se de manter os pontos de contato com o cliente e marcar presença online em sites de busca, como TripAdvisor, Kekanto e Restorando, onde o público pode dar a opinião, e além disso tente patrocinar seus anúncios.

Entrega e apresentação: Quando você fala pro seu cliente que o pedido chegará dentro de x tempo, é importante que você cumpra com essa informação. Para que o seu delivery tenha uma boa imagem, é fundamental garantir o nível de excelência. Além do tempo, a apresentação do produto também irá influenciar a imagem do seu restaurante, em muitos casos, o alimento chega frio ou a entrega é um desastre. Ou seja, procure sempre saber como está sendo entregue seu produto.

Saiba dos resultados: Busque sempre os dados do serviço prestado, assim, num segundo momento, você pode medir e mensurar a qualidade do seu sistema de delivery. Existem três tipos de indicadores que você pode usar, o primeiro é o que mede a quantidade de pedidos entregues de forma correta e dentro do prazo informado. O segundo, é o mais simples e serve para medir o percentual de entregas dentro do prazo. E o terceiro, é possível medir o tempo total desde o processamento do pedido até a entrega no consumidor final. Dica do chef: utilize os três indicadores para avaliar os resultados.

Invista em mídia offline: É importantíssimo alinhar a comunicação do seu ponto de venda com a comunicação do delivery. Além do informativo em seu site, faça comunicação focada nas mesas do salão, faça cartazes informativos, panfletagem no bairro para que os clientes lembrem de você e do seu serviço.

Crie programas de fidelização: Depois das dicas acima, é a hora de fazer seu cliente voltar. E voltar com mais gente! Pra que isso se torne um fluxo natural, crie programas de fidelização: a cada compra, o cliente ganha pontos que poderá trocar por algum produto. E isso realmente é bastante eficaz. De acordo com uma pesquisa realizada pela LoyaltyOne e Epsilon International, 27% dos brasileiros que participam de algum programa de fidelidade se sentem motivados a comprar novamente.

Gostou das dicas? Temos muito mais esperando por você. Clique aqui, e veja o nosso sistema delivery bem bacana que possa te atender!

Boleto vencido poderá ser pago em qualquer banco a partir de julho

A partir de julho (2017), o novo sistema para pagamentos de boletos começa a funcionar. Com o sistema, o boleto, mesmo vencido, poderá ser pago em qualquer banco. Além disso, o cálculo de juros e multa do boleto atrasado será feito automaticamente, o que reduzirá a necessidade de ir a um guichê de caixa e eliminará a possibilidade de erros no cálculo.

Tire o seu projeto do papel

Nós comercializamos scripts, sistemas e lojas, não encontrou o que procurava? Nos envie os detalhes do sistema que você deseja para que possamos lhe enviar um orçamento.

Fale conosco se você precisa de:
* Sistemas PHP Personalizados
* Desenvolver um projeto sob encomenda
* Programadores PHP MySQL JQuery
* Customizar um sistema que você possua
* Reformular seu Site
* Reformular um Sistema Web
* Sites Dinâmicos e Gerenciáveis
* Consultoria PHP
* Servidor VPS Linux, Configuração e Gerenciamento
* Hospedagem Linux para Sistemas Web PHP

Basta nos enviar uma mensagem sem compromisso.

Boleto bancário passa por importante atualização em 2017

A infraestrutura bancária responsável pela geração de boletos no Brasil vai passar por uma importante e sensível atualização no início de 2017. Basicamente, o boleto sem registro vai acabar da forma como existe hoje – e todos os boletos deverão ser registrados a partir de janeiro. Dos 3,5 bilhões de boletos emitidos por ano, cerca de 40% são na modalidade sem registro.

A Febraban, a entidade que representa os bancos e está à frente do projeto, informa que a proposta da Nova Plataforma de Cobrança é “aperfeiçoar o modelo atual com mecanismos que trazem mais controle e segurança a esse meio de pagamento”.

Verdadeira economia paralela, as fraudes foram o principal motivo da nova plataforma desenvolvida pela Febraban. De acordo com dados da entidade, só em 2016 o prejuízo deve ser de R$ 523 milhões, perante R$ 374 milhões em 2015.

As inconsistências nos boletos também são outro ponto levantado pela Febraban. Nos boletos sem registro, é possível alterar de forma deliberada o valor ou data de vencimento da cobrança.

O que muda com a nova plataforma de cobrança?

Mas o que, na prática, você precisa saber? Seguem abaixo os principais impactos do fim do boleto sem registro e da nova plataforma de cobrança.

Em primeiro lugar, é preciso saber que os boletos serão registrados em uma plataforma compartilhada entre os bancos. Ao pagar um boleto, será feita uma consulta à plataforma para checagem das informações. Caso os dados do boleto e do sistema estiverem iguais, a operação é validada. Caso haja qualquer divergência de dados, o pagamento não será autorizado.

Não será possível emitir boletos sem valor ou sem vencimento. Além disso, os dados cadastrais do pagador deverão estar completos – com nome/razão social, CPF/CNPJ e endereço.

Aliás, a respeito disso, a plataforma vai validar todos os dados boletos conforme as datas abaixo.

Faixa de valor Início da validação
> = R$ 50.000 13.03.2017
R$ 49.999,99 – 2.000,00 08.05.2017
R$ 1.999,99 – 1.000,00 12.07.2017
R$ 999,99 – 500,00 17.09.2017
R$ 499,99 – 200,00 21.10.2017
< = R$ 199,99 15.12.2017

 

Os bancos poderão cobrar também mais taxas – como registro, liquidação, alteração, permanência e baixa manual. Vale lembrar que na modalidade sem registro havia o pagamento apenas de uma taxa, quando o boleto era liquidado.

O boleto deverá ser registrado antes do pagamento – ou pelo menos no mesmo dia, pois o banco processa os registros antes das compensações.

Estornos por inconsistência serão bem mais comuns – e acontecerão automaticamente na compensação ou mesmo no momento do pagamento..

Não será necessário atualizar o boleto (segunda via), já que informações de juros e multa serão atualizados automaticamente no momento do pagamento. Regras de juros e multa serão limitados aos padrões dos bancos.

Rastrear fraudes será mais fácil. CNPJs fraudadores poderão ser bloqueados imediatamente.

Um resumo das mudanças

  • Os dados cadastrais do pagador deverão estar completos – nome/razão social, CPF/CNPJ e endereço;

  • Não serão mais aceitos boletos sem valor ou sem vencimento;

  • Bancos poderão cobrar mais mais taxas, como registro, liquidação, permanência e baixa;

  • O erro vai ficar mais caro, pois os bancos poderão cobrar por cada ação – registro, baixa etc.

  • O boleto precisará ser registrado antes do pagamento – ou pelo menos no mesmo dia até o cronograma ser implementado. Registro e pagamento no mesmo dia funciona (por enquanto), pois o banco processa o registro antes da compensação;

  • Vai haver mais estornos automáticos por inconsistência. O estorno ocorrerá automaticamente na compensação ou imediatamente no pagamento;

  • Um CNPJ fraudador poderá ser bloqueado imediatamente, em vez de em alguns dias como ocorre hoje;

  • Informações de juros e multa serão atualizados automaticamente no momento do pagamento, não sendo necessário atualizar o boleto;

  • Opções de juros, multa e principalmente desconto vão ser limitados aos padrões dos bancos;

  • Ao emitir ou alterar um boleto você terá que registrar no banco usando um arquivo CNAB 240 ou CNAB 400. Terá que aguardar a confirmação que vem em um arquivo retorno CNAB 240 ou 400 no dia seguinte, normalmente junto com as baixas;

  • Na prática, o banco vai automatizar a parte dele e jogar todos os erros para as empresas que precisarão se adequar a trabalhar com o novo boleto.

O que a Febraban diz

De acordo com Walter Tadeu de Faria, diretor-adjunto de Negócios e Operações da Febraban, o próximo passo é acabar com o boleto físico.

Em entrevista ao blog da Superlógica sobre os impactos da nova plataforma e do fim do boleto sem registro, Walter afirmou:

“A cobrança bancária da forma como a conhecemos existe desde a década de 1990, quando foi colocado o código de barras e passou a ser interbancária. De lá pra cá, não houve nenhuma atualização tecnológica. Em um primeiro momento, o boleto físico continuará existindo, mas nós pretendemos, mais à frente (ainda não temos visão desse horizonte ainda), passar a ser tudo eletrônico, sem a necessidade de eu por exemplo receber o boleto impresso do meu condomínio. O próximo passo que a gente pretende dar é acabar com o boleto físico.”

Sua empresa emite boleto sem registro?

Se sua empresa emite boletos sem registro e ainda não tem um convênio na modalidade registrada, é bom correr – os bancos não vão aceitar boletos sem registro pagos fora do banco emissor. Caso já tenha emitido boletos para 2017, reconsidere emiti-los em uma nova carteira ou mesmo registrá-los, caso não queira enfrentar problemas de fluxo de caixa.

Lembre-se de negociar todas as taxas com o gerente do seu banco – cuidado com taxas escondidas. Questione seu banco sobre registro, liquidação, permanência, baixa manual, alteração e protesto.

Haverá uma nova rotina, a de enviar um arquivo de remessa para o banco, com as informações dos boletos criados e/ou alterados.

Se a sua empresa atua com pagamentos recorrentes, como assinaturas, condomínios, imobiliárias, cursos, escolas, faculdades etc., uma opção interessante é usar um facilitador de pagamentos como a Conta de Recebimento, que é totalmente integrada ao Superlógica, sistema de gestão para empresas de serviço recorrente.

Para quem já emite boleto com registro

Se a sua empresa já trabalha com boletos com registro, não haverá grandes mudanças. Vale reforçar que os boletos deverão ser registrados antes do pagamento.

Quer fugir desta burocracia?

Uma alternativa para fugir das taxas cobradas pelos bancos é utilizar os serviços de um facilitador de pagamentos como a Conta de Recebimento, meio de pagamento voltado para empresas de serviços recorrentes que está totalmente integrado ao Superlógica.

O custo do boleto hoje é de R$ 2,50 por liquidação – e continuará assim na “virada de chave”, em 2017.

Ao usar o Superlógica e os serviços da Conta de Recebimento, não será necessário enviar arquivo de remessa e nem de retorno ao banco. Estes processos são automatizados e permitem aumentar a produtividade da equipe financeira.

A Conta de Recebimento é uma instituição de pagamento em conformidade com a Lei Federal 12.865/2013 e parte integrante da plataforma de pagamentos recorrentes da Superlógica.